PARA CONSTRUIR A CASA ENQUANTO SE CAMINHA é uma exposição-conclusão de um ciclo iniciado em março e que terminou em junho de 2021. Depois de 16 encontros via plataforma zoom, hospedado pela Casa Contemporânea, sob o nome de Comunidade de Afeto: prática de ateliê como exercício de caminhada conjunta, essa exposição é uma experimentação no espaço de experiências propostas e vividas em grupo e individualmente, aqui apresentadas como um único corpo.

 

Os encontros foram oferecidos como um lugar de construção sobre o que é o fazer artístico, o espaço do ateliê e a relação desse trabalho com a comunidade ao nosso redor, e as responsabilidades de um artista no contexto do mundo em que vivemos hoje. Juntos repensamos como é possível trabalhar do individual para o coletivo e desfazer as estruturas de escassez para cultivar abundância para além da arte, desde a escala micro para o macro.

 

Além do compartilhamento de referências de artistas, escritores e pensadores de diversas origens, os encontros se valeram do uso da argila como uma ferramenta para entrar em contato com o pensar para além da mente, que pode nascer do corpo. A argila foi um material de conexão com o ser de cada um, e que recebeu o que estava sendo discutido nos encontros através das nossas próprias mãos.

 

Juntes experimentamos novas formas de fazer e, enquanto conversávamos tocávamos a argila individualmente e em comunidade, formando um círculo virtual. A argila foi então um elemento de acesso, mas também um unificador da experiência.

 

Tanto as referências como as perguntas trazidas ao longo dos encontros por nós, artistas organizadoras do ciclo, também fazem parte dessa exposição. Além delas, as próprias argilas produzidas pelos participantes do grupo ao longo deste semestre, estão aqui apresentadas

agrupadas em um único corpo.

 

A exposição conta com a participação de 24 artistas de origens brasileira, peruana, colombiana e porto riquenha, residentes de São Paulo, Rio de Janeiro, interior paulista, Goiás, Flórida, Nova York e interior de Nova York: Ana Biolchini, Bel falleiros, Carol Ishimaru, Cecília Di Giacomo,Cris Panariello, Dani Abutara, Daniel Banin, Diego Teixeira, Elizabeth Velazquez, Fernanda Mello, Joana Gabos, Juliana Brito, Juliana Storto, Lina Puerta, Luciana Boaventura, Marcia Lima, Niceli Portugal, Pat Lobo, Renata Cruz, Renata Malachias, Silvia Arima, Simone Moraes,Tereza Grimaldi e Vivian Teixeira

 

Agradecemos a disposição dos artistas que se dispuseram a estar vulneráveis e viver esta experiência, em que muitos não tinham familiaridade e não se sentiam confortáveis manuseando.

Agradecemos a argila e aos lugares de onde esta matéria foi extraída por nos oferecer essa possibilidade de conexão.

Agradecemos a casa Contemporânea por ser este espaço onde pudemos construir a casa enquanto caminhamos.

Bel Falleiros e Renata Cruz